Sexta-feira, 07.02.14

"Afonso, o advogado, é apóstolo em sua casa. No processo de sua canonização, o Pe. Tannoia assinalará como o jovem Afonso converteu seu escravo muçulmano. Ele o converteu sem fazer proselitismo. Sem nada pedir-lhe. Simplesmente por "aquilo que é", por sua maneira de viver: seu escravo, Abdhalla, não dará outra explicação para sua conversão, a não ser esta: "Quero ser cristão por causa de meu senhor; certamente é verdadeira a religião que o faz viver com tanta virtude, piedade e bondade para comigo"

 

Retirado de "Orar 15 dias com Santo Afonso", de Jean-Marie Ségalen, que cita "Afondo de Ligório, uma opção pelos abandonados" de T. Rey-Mermet



publicado por Micaela Madureira às 22:14 | link do post | comentar

Sexta-feira, 27.12.13

Como sabemos, Afonso, antes de ser padre, foi advogado.

 

Sabem que tinha um papel com o que considerava serem os deveres do advogado e que levava consigo para os tribunais?

 

Franscesco Chiovaro, no livro "S. Afonso - Um Nobre feito pobre para os pobres", conta-nos que dizia assim:

 

"1. Não precisa de aceitar causas injustas, porque são perniciosas para a consciência e para a dignidade.

  2. Não se deve defender uma causa com meios ilícitos e injustos.

  3. Não se deve agravar o cliente com despesas indevidas (não necessárias), caso contrário o advogado tem obrigação de restituir.

  4. As causas dos clientes devem ser tratadas com todo o empenho, como se se tratasse de causas próprias.

  5. É necessário o estudo dos processos a fim de deduzir os argumentos válidos à defesa da causa.

  6. O adiamento e a negligência dos advogados muitas vezes prejudica os clientes, e por isso se devem reparar os danos, caso contrário peca-se      contra a justiça.

  7. O advogado deve implorar de Deus a ajuda necessária à defesa, pois Deus é o primeiro defensor da justiça.

  8. Não é de louvar um advogado que aceita muitas causas superiores à sua capacidade, às suas forças e ao seu tempo, que muitas vezes lhe faltará para preparar devidamente a defesa.

  9. Para os advogados católicos, a justiça e a honestidade devem andar sempre juntas, ou melhor, devem ser guardadas como a pupila dos olhos.

  10. Um advogado que perde uma causa por negligência fica na obrigação de reparar todos os danos causados ao seu cliente.

  11. Ao defender as causas é preciso ser verdadeiro, sincero, respeitador e bem fundamentado.

  12. Finalmente, as qualidades de um advogado são: a ciência, a diligência, a verdade, a fidelidade e a justiça."

 

A mim, ao ler isto, surge-me uma pergunta: como cristãos, de que modo sentimos que, em tudo na vida, devemos ter a marca de Cristo, o seu jeito?



publicado por Micaela Madureira às 22:19 | link do post | comentar

Sexta-feira, 22.11.13

Hoje um pouco mais tarde... um excerto do livro Modo de conversar contínua e familiarmente com Deus, escrito em 1753, por Afonso Maria de Ligório:


          «Não te esqueças nunca da sua doce presença, como faz a maior parte dos homens. Fala-lhe o mais frequentemente possível, que Ele não se cansa nem o despreza, como fazem os senhores da terra. Se tu o amas, não te faltará dize-lo. Diz-lhe o que te acontece, a ti e aos teus assuntos, como o dirias a um amigo querido. Não o consideres como um príncipe altivo, que não quer lidar senão com os grandes, e só de grandes coisas. Ele se agrada, o nosso Deus, de abaixar-se a tratar connosco, e gosta que nós lhe comuniquemos os nossos afazeres mais pequenos e triviais.


          Ele ama-te tanto e tem tanto cuidado por ti, como se não tivesse de pensar em mais ninguém senão em ti. Ele é assim aplicado nos teus interesses, que parece que não conserva a sua providência senão para socorrer-te, a sua omnipotência senão para ajudar-te, a sua misericórdia e bondade senão para compadecer-se e fazer-te bem, e para ganhar com as suas cortesias a tua confidência e o teu amor. Revela-lhe pois com liberdade todo o teu interior, e pede-lhe que te guie a seguir perfeitamente a sua santa vontade; e todos os teus desejos e projectos sejam somente para encontrar o seu beneplácito e contentar o seu Coração Divino: Revela Senhor as tuas vias (Sal 37, 5); E pede-lhe para que os teus caminhos sejam rectos, e para que todos os teus projectos e conselhos sejam bem encaminhados (Tob 5, 19).»





publicado por Ana Montenegro às 21:10 | link do post | comentar

Sexta-feira, 15.11.13

         Iniciamos hoje um novo cantinho no nosso blog... todas as sextas-feiras, ao final da tarde, propomos que pares, leias e medites as palavras de Santo Afonso (ou de alguns dos seus amigos!) e, no silêncio do teu coração, faças oração. Se quiseres partilhar com a comunidade podes fazé-lo, nos comentários ou no FB.

          É mais uma oportunidade que temos de estar em sintonia com todos aqueles que ao domingo se reunem na NOSSA igreja.

 

          E para começar, um excerto do livro A prática de Amar Jesus Cristo, escrito em 1768, por Afonso Maria de Ligório...

 

          "Não merece Deus, porventura, todo o nosso amor? Ele nos amou desde toda a eternidade. «E com amor eterno te amei» (Jer 31, 3).

Homem, diz o Senhor, olha que fui eu o primeiro a amar-te. Tu não existias ainda no mundo, nem o mundo tampouco existia, e já eu te amava. Amo-te desde que sou Deus. Desde que me amei, amei-te também a ti.

          Vendo Deus que os homens se deixam levar dos benefícios, quis por meio dos seus dons cativá-los ao seu amor. Por isso disse: «Eu os atrairei com os laços próprios dos homens; com as prisões da caridade» (Os 11, 4). Quero atrair os homens a amar-me com aqueles laços com que eles se deixam prender, isto é, com os laços do amor.

          Tais precisamente têm sido todos os dons feitos por Deus ao homem. Depois de tê-lo dotado de alma com as potencia feitas à sua imagem, memória, entendimento e vontade; e de corpo com os seus sentidos, criou para ele o céu e a terra e tantas outras coisas, todas por amor do homem: os céus, as estrelas, os planetas, os mares, os rios, as fontes, as montanhas, as planícies, os metais, os frutos e tantas espécies de animais, a fim de que sirvam o homem, e o homem o ame a Ele em agradecimento de tantos dons."



     

 



publicado por Rute Santos às 19:21 | link do post | comentar

mais sobre mim
Contacta-nos!
Centro.Catequese.Sto.Afonso@Gmail.com
Também podes encontrar-nos aqui:

Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

Celebrar aqui...Ao entard...

Celebrar aqui...Ao entard...

Celebrar aqui... ao entar...

Celebrar aqui... ao entar...

links
arquivos

Junho 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

tags

1.º volume (2014/15)

2.º volume (2014/15)

3.º volume (2014/15)

acção de graças

aniversários

boas notícias da semana

catequeses conjuntas

celebrar aqui... ao entardecer

com afonso

desenhos - geral

férias

festas

festival jota

newsletter

profissão de fé

quaresma 2014 - caminhada de oração

retiro

semanário do 1.º volume (2013/2014)

união

via lucis

via lucis 2013

via sacra 2011

via sacra 2012

via sacra 2013

todas as tags

Nº de visitas:
Website counter
subscrever feeds