Terça-feira, 25 de Março de 2014
Graças ao acontecimento de Jesus Cristo, o Homem deu um salto de qualidade, entrando na plenitude dos tempos, isto é, na fase do nascimento dos filhos de Deus.

Os milénios que precederam o acontecimento de Cristo foram os tempos da gestação.

A plenitude dos tempos representa o parto através do qual nascem os filhos de Deus pela difusão do Espírito operada por Jesus Cristo ressuscitado.

Eis o que diz São Paulo nas Carta aos Gálatas: “Mas quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sob o domínio da Lei, a fim de resgatar os que se encontravam sob o domínio da Lei, a fim de receberem a adopção de Filhos.
E porque sois filhos Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho que clama: “Abba, Pai querido.

Deste modo já não somos escravos mas filhos e, portanto, herdeiros pela graça de Deus” (Gal 4, 4-7).

O conteúdo fundamental da plenitude dos tempos, portanto, implica a incorporação da Humanidade na Comunhão Familiar da Santíssima Trindade, mediante o Espírito Santo.

Eis como a Carta aos Romanos exprime este mistério: “Todos os que são movidos pelo Espírito Santo são filhos de Deus” (Rm 8, 14).

A expressão “Plenitude dos Tempos” leva consigo um sentido de entrada no limiar dos acabamentos do projecto humano, isto é, a sua divinização.

É a última etapa, isto é, a fase final da marcha histórica da Humanidade a caminhar para a plenitude da comunhão Familiar de Deus.

Por outras palavras, o projecto humano está na fase dos acabamentos que é, como vimos, a sua divinização.

Isto quer dizer que a marcha histórica da Humanidade deu um salto de qualidade, graças ao mistério da Encarnação.
Mas foi com a ressurreição de Cristo que a condição divina de Jesus de Nazaré se difundiu pela Humanidade.

Ao ressuscitar, Jesus Cristo entrou nas coordenadas da universalidade, isto é, da equidistância e da comunhão universal.

Nesse momento o Senhor ressuscitado tornou-se o coração do Homem Novo assumido de modo orgânico na comunhão da Santíssima Trindade, com a qual estamos unidos e interactivos para sempre.

Jesus é, na verdade, o ponto de encontro do Humano com o divino.

Se olharmos atentamente as Sagradas Escrituras verificamos que é enorme a cadeia dos acontecimentos que conduziram a Humanidade até Cristo que é o início e a plenitude da Humanidade.

Para o Antigo Testamento, o Messias é alguém que havia de vir para realizar a intervenção decisiva de Deus, condição para a Humanidade atingir a meta da comunhão com a Divindade.

Através do Messias, o descendente de Abraão, viria a bênção universal que atingirá todas as famílias da terra, diz o Livro do Génesis (Gn 12, 3).

O Novo Testamento apresenta Jesus Cristo como a realização das esperanças que foram brotando ao longo do Antigo: Jesus é o único medianeiro entre Deus e o Homem (1 Tm 2, 5.

Em Jesus ressuscitado, a Humanidade pecadora é definitivamente reconciliada com Deus (2 Cor 5, 17-19).

São Paulo diz que Jesus Cristo é o Novo Adão que repara as distorções provocadas no tecido da Humanidade pelo primeiro (Rm 5, 17-19).

O evangelho de São João diz que Jesus é o único caminho para chegarmos ao Pai (Jo 14, 6).

O caminho foi aberto pela ressurreição do Senhor. São Mateus explicita esta verdade dizendo que no momento da morte e ressurreição de Jesus, o véu do templo se rasgou de alto a baixo (Mt 27, 51).

O véu do templo separava o santuário onde estava o povo e o Santo dos Santos onde Deus se tornava presente.
Ninguém tinha acesso ao Santo dos Santos a não ser o sumo-sacerdote, a fim de obter as bênçãos de Deus para o povo.

Com a ressurreição de Jesus, o véu do templo rasgou-se de alto a baixo e, portanto, todos ficam com acesso directo a Deus como membros da Família Divina, diz São Paulo (Rm 8, 14-17).

Graças ao facto de termos sido divinizados por Cristo, diz a Primeira Carta aos Coríntios, Deus habita nos nossos corações e nós somos o Novo templo de Deus (1 Cor 3, 16).

No evangelho de São João, Jesus diz que a nossa vida será fecunda na medida em que estejamos organicamente unidos a Cristo como os ramos da videira estão unidos à cepa, isto é, de modo orgânico (Jo 15, 4-6).

O Novo Testamento é o testemunho da Nova Aliança e a garantia de que a fase final da História está inaugurada.
Em Comunhão Convosco
Calmeiro Matias
Retirado de: http://comunhaonoespirito.blogspot.pt/2010/03/jesus-cristo-e-plenitude-dos-tempos.html


publicado por Micaela Madureira às 18:30 | link do post | comentar

mais sobre mim
Contacta-nos!
Centro.Catequese.Sto.Afonso@Gmail.com
Também podes encontrar-nos aqui:

Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

Hoje, começa uma nova era

Ser próximo é fazer-se pr...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Caminhada de Natal - Dia ...

Natal - Dia 26

Advento - Dia 25

Advento - Dia 24

links
arquivos

Junho 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

tags

1.º volume (2014/15)

2.º volume (2014/15)

3.º volume (2014/15)

acção de graças

aniversários

boas notícias da semana

catequeses conjuntas

celebrar aqui... ao entardecer

com afonso

desenhos - geral

férias

festas

festival jota

newsletter

profissão de fé

quaresma 2014 - caminhada de oração

retiro

semanário do 1.º volume (2013/2014)

união

via lucis

via lucis 2013

via sacra 2011

via sacra 2012

via sacra 2013

todas as tags

Nº de visitas:
Website counter
subscrever feeds